É quase inacreditável imaginar que pelo menos mil homens perdem seu “melhor amigo” todos os anos. Mais assustador ainda é descobrir que o motivo disso: em pleno século XXI, muitos homens ainda não sabem ou não têm o hábito de lavar seus órgãos sexuais com frequência. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), só em 2013 cerca de mil amputações penianas ocorreram no Brasil. 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) cerca de 1000 homens têm o pênis amputado parcial ou totalmente todos os anos. O motivo? Em sua maioria, falta de higienização adequada nessa região do corpo.

Isso porque a limpeza correta da genitália evita infecções causadas por fungos e bactérias, diminuindo os chances do desenvolvimento de câncer peniano. “A higienização diminui as chances do homem obter HPV [papilomavírus humano], vírus sabidamente relacionado ao desenvolvimento da doença”, afirma Alexandre César Santos, membro da SBU-SP.

Pois é amigo, deixar de tomar banho porque está com “preguiça” pode lhe custar caro. Muitos homens adquirem câncer no pênis graças aos maus hábitos de higiene, que termina em procedimentos cirúrgicos de amputação do órgão.

Estátua David, de Michelangelo (Foto: Wikimedia Commons)
Estátua David, de Michelangelo (Foto: Wikimedia Commons)

A apesar do câncer de pênis ser raro no país – representa 2% entre todos os outros tipos –, os dados da SBU também mostram que, em algumas regiões do Norte e Nordeste do país, ele é bem mais comum do que o de próstata. Isso ocorre devido às baixas condições socioeconômicas e, claro, má higiene íntima.

Além disso, o medo dos homens de procurar por ajuda médica prejudica ainda mais quadro, porque muitos acreditam que isso é quase uma violação a sua sexualidade (besteira!). Atualmente, enquanto mais de 15 milhões de mulheres vão ao ginecologista todos os anos, apenas 2 milhões de homens buscam o urologista, sendo que a maioria deles já apresenta algum problema urológico. Com base nesses números, é fácil acreditar que pelo menos mil homens têm seus pênis amputados todos os anos, não é?

Como se não bastasse, a falta de higiene não afeta apenas a “saúde do brinquedinho” dos homens que descuidam da saúde íntima. Lesões no pênis também levam ao desenvolvimento de doenças, facilitando, inclusive, a transmissão do HPV, principal responsável pelos cânceres de colo de útero, vagina, ânus, pênis e orofaringe (boca e garganta). 

No caso do pênis, a amputação, parcial ou total, é um dos últimos recursos usados pelos médicos para salvar a vida do paciente, sendo que, quando descoberto logo no início, o “melhor amigo” tem 95% de chance de ser salvo.

“A promiscuidade sexual e a não utilização de preservativo também aumenta esse risco, uma vez que parte dos cânceres de pênis estão relacionados com a infecção pelo HPV, sendo que na casuística do Maranhão, a proporção de tumores relacionados ao HPV é maior que a média mundial”

Limpe com água e sabão

Quer saber como não deixar isso acontecer com seu pênis? Então confira algumas dicas de como cuidar melhor dele

#1 – Mantenha-o limpo. 

Não é frescura. Cuidar da higiene íntima não serve só para deixar o amigão apresentável para conhecer novas amiguinhas. Mantê-lo limpo também evita a proliferação de fungos e bactérias que podem ocasionar sérias infecções penianas, como candidíase e balanite. Para isso recomenda-se enxugar o pênis após urinadas e relações sexuais; lavar cuecas e só utilizá-las quando estiverem totalmente secas; e no banho, lavar a glande com sabonete até que saia toda gordura presente.

Sabonete íntimo masculino

Agora que você sacou a importância no uso do sabonete íntimo masculino, tem algumas dicas importantes que você precisa saber antes de usar, já que a aplicação não é necessariamente da mesma maneira que o sabonete tradicional.

Vamos a um passo a passo fácil de usar. 

  1. Primeiro de tudo, vai tomar um banho, e higienize a região genital;
  2. Passe o sabonete íntimo antifúngico na região, com cuidado, e vamos te explicar logo;
  3. Enxágue bastante com água;
  4. Finalize o banho e seque bem.

Não tem mistério, jovem. Passar o sabonete íntimo ao menos 2 a 3 vezes por semana já é suficiente para garantir uma saúde adequada na região. Mas não basta só passar o sabonete íntimo e tudo certo: tem alguns outros cuidados importantes para ficar atento.

#2 – Use camisinha. 

Não adianta fazer bem feito na hora H e depois perceber que contraiu uma DST. Além de evitar a gravidez indesejada, o uso de camisinha é recomendadíssimo para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis como gonorreia, sífilis e até mesmo a AIDS.

#3 – Fique longe dos cigarros. 

Além aumentar as chances de contrair câncer de vários tipos e doenças respiratórias, o consumo de cigarro está entre as principais causas da infertilidade masculina. Isso se dá porque o tabaco reduz os movimentos dos espermatozóides e o volume da ejaculação. Então, se ainda pretende ter filhos ou ter uma vida saudável, melhor não fumar.


#4 – Atenção ao nível de testosterona. 

Os baixos níveis de testosterona são mais comuns do que os homens pensam. Como esse hormônio é também responsável pela ereção peniana, sua deficiência pode originar a disfunção erétil. Mas se você estiver com pouca testosterona, não se desespere. Para corrigir o problema existem tratamentos de reposição hormonal, que só devem ser feitos com orientação médica.

#5 – Vá sempre ao médico. 

Os homens têm o péssimo hábito de irem ao consultório apenas em uma situação: quando sentem algum sintoma. E, mesmo assim, só procuram um especialista a partir da insistência de uma mulher (seja esposa, mãe ou até filha) ou quando o problema foge do controle. Isso é MUITO errado. Procure anualmente um médico urologista e realize um check-up. Tal hábito pode te prevenir de vários problemas com o “melhor amigo”.

É possível ter relações sexuais?

A forma como a amputação do pênis afeta o contato íntimo varia de acordo com a quantidade de pênis removida. Assim, homens que sofreram uma amputação total poderão não ter órgão sexual suficiente para ter uma relação vaginal normal, no entanto, existem diferentes brinquedos sexuais que podem ser utilizados em substituição.

Já no caso de uma amputação parcial, normalmente é possível voltar a ter relações em cerca de 2 meses, assim que a região está bem cicatrizada. Em muitos destes casos, o homem tem uma prótese, que foi inserida no pênis durante a cirurgia, ou o que resta do seu pênis ainda é suficiente para manter o prazer e a satisfação do casal.

Existe forma de reconstruir o pênis?

Nos casos de câncer, durante a cirurgia, o urologista normalmente tenta preservar o máximo de pênis possível para que seja possível reconstruir o que resta através de uma neofaloplastia, utilizando pele do braço ou da coxa e próteses, por exemplo. Saiba mais sobre como funcionam as próteses penianas.

Já nos casos de amputação, na grande maioria dos casos, o pênis pode ser reconectado ao corpo, desde que feito em menos de 4 horas, para evitar a morte de todo o tecido peniano e garantir maiores taxas de sucesso. Além disso, o aspeto final e o sucesso da cirurgia também podem depender do tipo de corte, que é melhor quando é um corte liso e limpo.

A amputação provoca muita dor?

Além da dor muito intensa que pode surgir em casos de amputação sem anestesia, como acontece em casos de mutilação, e que até pode causar desmaio, após a recuperação muitos homens podem sentir uma dor fantasma no local onde estava o pênis. Este tipo de dor é muito comum em pessoas amputadas, pois a mente demora muito tempo para se adaptar à perda de um membro, acabando por criar desconforto durante o dia-a-dia como formigamento na região amputada ou dor, por exemplo.

A libido mantém-se igual?

O apetite sexual no homem é regulado através da produção do hormônio testosterona, que acontece maioritariamente nos testículos. Assim, homens que fazem amputação sem remover os testículos podem continuar a sentir a mesma libido de antes.

Embora possa parecer um ponto positivo, no caso de homens que sofreram uma amputação total e que não podem fazer reconstrução do pênis, essa situação pode causar grande frustração, uma vez que têm maior dificuldade para dar resposta à sua vontade sexual. Assim, nestes casos, o urologista pode recomendar remover também os testículos.

É possível ter um orgasmo?

Na maior parte dos casos, homens que sofreram amputação do pênis podem ter um orgasmo, no entanto, pode ser mais difícil de atingir, uma vez que a grande maioria das terminações nervosas se encontram na cabeça do pênis, que, normalmente, é removida.


No entanto, a estimulação da mente e o toque na pele em redor da região íntima também pode ser capaz de produzir um orgasmo.

Como se utiliza o banheiro?

Após retirar o pênis, o cirurgião tenta reconstruir a uretra, para que a urina continue saindo da mesma forma que anteriormente, sem causar alterações na vida do homem. Porém, nos casos em que é preciso remover todo o pênis, o orifício da uretra pode ser recolocado por baixo dos testículos e, nesses casos, é preciso eliminar a urina sentado na privada, por exemplo.

Homens trans

Homens transsexuais que já passaram pela cirurgia de mudança de sexo também têm chances de desenvolver câncer peniano. Por isso, essa parcela da população também deve se manter alerta aos sintomas. “Se houve contaminação por HPV ou verruga genital antes da cirurgia, a possibilidade do aparecimento do câncer crescem”, relata Santos.

Entretanto, por conta do procedimento cirúrgico, muitas vezes os homens trans têm de ser diagnosticados por ginecologistas, já que a mudança de sexo conta com sistemas da genitália feminina.


Deixe sua pergunta ou opinião

Ad Blocker Detected

Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by disabling your ad blocker.

Refresh