A candidíase masculina corresponde ao crescimento excessivo de fungos do gênero Candida sp. no pênis, levando ao aparecimento de sinais e sintomas indicativos da infecção, como dor e vermelhidão local, ligeiro inchaço e coceira. A Candida sp. é um fungo naturalmente presente na região genital e na pele de homens e mulheres, no entanto como consequência de alguma alteração no sistema imune, principalmente, pode ter seu crescimento favorecido, resultando na candidíase.

A candidíase genital é mais comum de acontecer nas mulheres, no entanto também pode acontecer nos homens principalmente quando não se realiza a higiene íntima adequadamente. Além de poder aparecer no pênis, a candidíase no homem também pode aparecer em outros locais do corpo, como entre os dedos do pé, virilha e interior da boca.

Os primeiros sinais da candidíase em homens podem assustar: ao ver alterações como bolinhas e vermelhidão na genitália, muitos pensam se tratar de uma IST (infecção sexualmente transmissível). Mas o quadro não tem relação direta com a atividade sexual e existem tratamentos simples para controlar os sintomas.

Foto da candidíase no homem
Foto da candidíase no homem

Em algumas infecções da glande mais graves, algumas bolhinhas podem se formar na região. Quando essas bolhas estouram, a glande é molhada e é possível notar uma substância branca e cinza – que são equivalentes ao corrimento feminino.

A candidíase é uma infecção que pode ser facilmente tratada desde que o tratamento recomendado pelo médico seja seguido, o que normalmente envolve o uso de pomadas e cremes que promovem a eliminação dos fungos em excesso, além de antifúngicos via oral em alguns casos. No entanto, o tratamento não garante a imunidade e, por isso, é importante que o homem mantenha os hábitos de higiene para evitar que a candidíase volte a acontecer.

Apesar de não ser tão comum quanto em mulheres, também acomete muitos homens. A infecção é causada pela Candida albicans, que assim como outros fungos faz parte do ambiente natural da genitália. “Mudanças como alteração no Ph, hiperglicemia, falta de higiene, aumento da temperatura e do suor podem causar a proliferação do fungo, causando o quadro”, aponta Antônio Modesto, médico de família e comunidade e coordenador do Grupo de Trabalho de Saúde dos Homens da SBMFC (Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade).

Os homens também podem ter candidíase oral, mas o quadro é mais comum em crianças. “Em adultos, significa que o sistema está imunodepressivo, como em pacientes com HIV ou em pessoas que usam remédios orais que diminuem a defesa local, como a bombinha para asma, especialmente se a higiene for ruim”, explica Modesto.

E quem é mais suscetível a candidíase?

Nem todo homem que entra em contato com o fungo genital desenvolve uma infecção fúngica. Há dois grupos de risco: homens com prepúcio (uma camadinha de pele extra que cobre a ponta do pênis) e homens com sistema imunológico enfraquecido. Os fungos não se reproduzem direito na glande devido às condições pouco favoráveis de calor e umidade. É por isso que a candidíase masculina não é comum.

Sinais e sintomas de candidíase masculina

Os sinais e sintomas de candidíase genital masculina surgem principalmente no pênis, no entanto pode também aparecer no saco escrotal ou atingir a virilha, por exemplo. Os principais sinais e sintomas de candidíase no homem são:

  • Dor e vermelhidão local;
  • Aparecimento de placas avermelhadas e/ou esbranquiçadas no pênis;
  • Ressecamento da pele;
  • Presença de secreção esbranquiçada;
  • Sensação de queimação ao urinar;
  • Coceira local;
  • Fissura Pele do prepúcio rachada e dolorida;
  • Dificuldade em ter relações sexuais.

O diagnóstico da candidíase genital masculina é confirmada pelo urologista a partir da observação dos sinais e sintomas apresentados pelo homem. Além disso, em casos recorrentes e atípicos, pode ser solicitado a realização de exames laboratoriais para confirmar a presença e a espécie do fungo.

No caso da candidíase masculina que não acomete a região genital, os sinais e sintomas apresentados devem ser avaliados pelo dermatologista, que irá identificar o tratamento mais adequando. 

Fatores que facilitam o aparecimento da candidíase no pênis

  • Diabetes mellitus
  • Uso de fraldas em bebês ou idosos (por aumentar a umidade do local)
  • Má higiene do pênis
  • Quimioterapia (por prejudicar a imunidade)
  • Doenças imunossupressoras, como HIV
  • Uso de glicocorticoides ou outras fármacos imunossupressores
  • Uso recente de antibióticos (por eliminarem bactérias que antes competiam por alimentos com os fungos).

Principais causas e como prevenir a candidíase

Principais causas e como prevenir a candidíase
Use camisinha

A candidíase masculina está principalmente relacionada com alterações do sistema imune que acabam por favorecer o crescimento excessivo de espécies de Candida na região genital, na boca ou no corpo, por exemplo. Assim, situações como gripe, estresse, doenças crônicas, como diabetes descompensada ou não tratada, ou autoimunes, realização de quimioterapia ou tratamento com imunossupressores ou corticoides podem favorecer a proliferação de Candida sp.

Além disso, no caso da candidíase genital masculina, a falta de higiene da região genital e a umidade local também pode favorecer a proliferação fúngica. Assim, para prevenir a infecção, é importante realizar a higiene íntima diariamente e evitar usar roupas quentes, apertadas ou molhadas, já que também favorecem o crescimento fúngico.

Fortalecer o sistema imunológico é também uma forma de prevenir a infecção pelas espécies de Candida sp. e, por isso, é importante ter uma alimentação saudável e equilibrada e praticar atividade física diariamente.

Como tratar a candidíase

Como tratar a candidíase
O tratamento pode ser feito em casa com o uso de pomadas antifúngicas

A candidíase tem cura e, na maior parte dos casos, o tratamento pode ser feito em casa com o uso de pomadas antifúngicas, como Miconazol, Imidazol, Clotrimazol ou Fluconazol e, nos casos mais graves, pode ser recomendado o uso de Antifúngicos via oral e Hidrocortisona. É importante que o tratamento da candidíase masculina seja feito de acordo com a recomendação médica, mesmo que não existam mais sintomas aparentes.


Uma outra estratégia que ajuda a curar a candidíase mais rápido é investir em alimentos como a salsinha e o limão que pode ser usados para temperar a salada ou espremido num pouco de água, sem adoçar.

O chá de gengibre e de poejo são outras ótimas opções para completar o tratamento médico. Veja mais dicas do que comer neste vídeo da nutricionista Tatiana Zanin:

Complicações são raras, mas podem ocorrer

É raro que a candidíase leve a um quadro mais grave. No entanto, se não houver tratamento e não for feita a higiene correta, é possível que o paciente tenha uma infecção secundária a partir da área que, por ficar fica ferida e inchada, dificulta a possibilidade de uma boa limpeza.

É possível que a infecção seja transmitida durante a relação sexual?

Não é uma transmissão exclusivamente por sexo. No entanto, para pessoas que já apresentavam algum fator de risco, a relação sexual com uma parceira ou parceiro que possuíam o quadro ou maiores quantidades do fungo, as chances de infecção são maiores.

Campanha pela higiene

O Instituto Lado a Lado pela Vida, idealizador do Movimento Novembro Azul, criou uma campanha bem-humorada no Instagram chamada de ‘Lave o Dito Cujo’.

O projeto visa conscientizar os homens brasileiros, de maneira lúdica, mas sempre com a seriedade que o assunto exige, sobre a importância da higiene diária do membro, essencial para evitar o câncer de pênis, que anualmente faz com que cerca de 1.600 homens tenham de amputar o pênis no Brasil.

Dica rápida

Não dá pra ficar passando vergonha na hora H. Então cuidar da higiene nas partes íntimas é essencial para marcar um golaço!

Conheça o sabonete íntimo da Don Alcides, clicando aqui. Deixe seu amigão limpo e pronto para a diversão!

sabao cra-cra sabonete íntimo masculino don alcides

Deixe sua pergunta ou opinião

Ad Blocker Detected

Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by disabling your ad blocker.

Refresh