em

7 Quadrinhos que todo NERD tem que ter lido uma vez na vida

Confira algumas das histórias essenciais para um bom leitor de quadrinhos

Já tem um bom tempo que quadrinhos deixaram de ser uma mídia exclusiva dos nerds. Muito disso tem sido por conta das adaptações para o cinema tanto dos super-heróis como de outras obras. O fato é que a narrativa gráfica possui tantas nuances e histórias fora de série que deixá-las de lado por achar que é só um “gibizinho” é no mínimo uma sacanagem, para não dizer burrice mesmo.

Você pode não gostar de quadrinhos, não tem problema nenhum, só não desconsidere como uma forma séria e ótima de contar uma boa história. E nós aqui sabemos tão bem disso, que separamos uma lista de obras-primas dos quadrinhos que todo barbudo nerd, e não nerd também, deveria ler.

Os quadrinhos que todo nerd barbudo deve ler

Esse é o supra-sumo dos quadrinhos, formas bem variadas de conhecer essa nova forma de arte, que na verdade nem é mais tão nova assim, já que ela está bem pertinho de bater seus 100 anos de existência…

Enfim, vamos ao que interessa. E só para constar, não vamos nos restringir em apenas super-heróis. É verdade que eles são a base e o começo dessa mídia, mas como toda boa forma de expressão artística, não ficou apenas neles. Vamos começar.

1. Sandman

Sandman é facilmente um dos Quadrinhos elevados ao estado de arte

Vamos começar chutando a porta aqui. Essa é uma das histórias em quadrinhos que foram elevadas facilmente ao estado de arte. E também a responsável por deslanchar de vez a carreira de Neil Gaiman como um contador de histórias. Sim, contador de histórias pois o autor britânico tem uma carreira incrível na literatura e na TV também. Mas um dia falamos dele se for possível.

Mas por que Sandman é tão ovacionada assim? Simples, jovem. Na trama, de 75 edições, temos a trajetória do tal Sandman, um dos Perpétuos – seres cósmicos que representam as características humanas mais importantes -, e sua busca pelos artefatos que lhe foram tirados após um ritual meio sinistro de uma seita que buscava pela imortalidade.

O que parece algo meio clichê se transforma em algo filosófico e cheio de referências e reflexões em seus arcos fechados.

Se estiver com dúvidas ainda, recomendo que leia apenas Estação das Brumas, arco em que o Sandman vai para o submundo buscar um de seus artefatos perdidos, e que está vago já que o próprio cramunhão desistiu do lugar, e agora todas as outras entidades desejam tomá-lo…

2. Batman: a Piada Mortal

A Piada Mortal é um dos Quadrinhos mais intensos e pesados do Batman

Tem muitas, MUITAS, HQs do Batman que poderíamos citar aqui: Cavaleiro das Trevas, Asilo Arkham, O Longo Dia das Bruxas, Ano Um, e daí vai. Se um dia interessar a vocês fazemos uma lista só das histórias do Homem-Morcego.

A que colocamos aqui, escrita por Alan Moore, é indispensável não apenas por mostrar um lado único dos super-heróis, mas sintetizar a imagem tanto do Batman, como do Coringa.

Na trama, conhecemos um pouco do passado e da possível origem do Coringa, além do seu plano mais mórbido até então: provar ao Batman que qualquer um pode se enlouquecer e se corromper se tiver um dia muito ruim. Mesmo escrita há quase 30 anos, ela continua muito contemporânea até os dias de hoje.

3. X-Men: Deus ama, o Homem mata

Os Quadrinhos dos X-men sempre foram diretos nas questões de preconceito

Novamente, tem muitas boas histórias dos X-men que poderíamos colocar aqui, mas acho que essa sintetiza praticamente todos os temas nos quais as histórias dos mutantes se baseiam, seja no espaço ou na terra. Também é uma das melhores escritas pelo roteirista Chris Claremont. Aliás, se você for um fã das animações dos X-Men dos anos 90, agradeça tanto a esse como o desenhista Jim Lee.

A trama de Deus ama, o Homem mata não é ligada ao universo tradicional das histórias dos X-Men. Aqui, temos a Cruzada Stryker, um grupo extremista de humanos que desejam erradicar os mutantes de uma vez por todas, e para tanto eles capturam e manipulam a mente do Professor X e dão cabo de muitos mutantes, incluindo o Ciclope e Tempestade.

Cabe aos X-Men sobreviventes forjarem uma aliança forçada com Magneto para parar a Cruzada Stryker e amenizar os conflitos entre humanos e mutantes. É uma HQ excelente para entender diversos pontos essenciais das histórias dos X-Men, e ver inclusive algumas de suas referências no cinema. Só não leve os filmes a sério…

4. Os Supremos

Os Supremos é um dos Quadrinhos mais polêmicos da Marvel

Já aviso logo: você nunca vai ver os Vingadores no cinema como vê nessa graphic novel escrita por Mark Millar. É, aquele mesmo do Kingsman, Kick-Ass e outras histórias que ficaram com seu selo de qualidade no cinema. Aqui é uma fase mais ácida e menos cinematográfica do autor, e o máximo que você vai ver dela no cinema já foi utilizado de forma bem leve no primeiro filme dos Vingadores.

Para quem não acompanha muitas histórias em quadrinhos de Super-heróis, aqui vai um resumo breve. Os Supremos foi uma das várias HQs que começaram o Universo Ultimate da Marvel, uma outra linha de quadrinhos que se passava em um outro universo, com origens repaginadas e modernas dos heróis. Mas que infelizmente funcionou apenas para o Homem-Aranha e para os Vingadores.

Nos Supremos, temos uma origem mais “humana” do grupo dos Vingadores. Tanto que nem há um grande vilão de fato, focando nas relações entre os membros da equipe, bem parecida com a dos cinemas. Mais do que uma HQ de super-heróis, ela trata de problemas bem adultos como violência doméstica, morte, alcolismo e outras tônicas que, como falamos, dificilmente você vai ver os filmes do MCU. Recomendo para quem deseja ver algo bem diferente no gênero.

5. Crise nas Infinitas Terras

A Crise nas Infinitas Terras foi um marco dos Quadrinhos na DC

Acha que é muito difícil ler quadrinhos hoje em dia por ter muita coisa pra acompanhar? Pois pense que, há trinta e poucos anos atrás, era ainda mais difícil pelo de haver muitos universos de personagens, linhas do tempo, e principalmente incongruências editoriais que levaram a DC, casa do Superman, Mulher-Maravilha e tantos outros, a realmente querer começar tudo do zero.

E como eles fizeram isso? Em uma saga gigantesca, que integraria todos os universos da DC e suas várias versões de um mesmo personagem, em uma trama igualmente épica, e que colocaria tudo no seu devido lugar.

Essa megasaga ficou conhecida como A Crise das Infinitas Terras, e até hoje é lembrada como um dos marcos não apenas da própria DC, como dos quadrinhos de super-heróis como um todo.

Não é por acaso que você hoje em dia megasagas que tentam envolver todo o universo de heróis em resoluções cada vez mais megalomaníacas. A diferença que naquela época nunca tinha sido feito antes, hoje virou medida desesperada para manter o público interessado…

6. Lobo Solitário

O Lobo Solitário é uma obra prima dos Quadrinhos mundiais, e uma das portas de entrada para o mangá no ocidente

O único mangá presente nessa lista (e mais uma vez, se você gostar da ideia podemos fazer uma lista de mangás no futuro) foi outro divisor de águas por, além de Akira, trazer os quadrinhos japoneses em peso para o ocidente, e influenciar e ser influenciado por eles. Até o desenho Samurai Jack guarda uma referência especial a obra de Kazuo Koike.

Aliás, o próprio termo Lobo Solitário ficou popular por aqui quando o mangá chegou. A trama conta a trajetória de vingança de Ogami Ittõ, contra seus conspiradores da Família Yagyo, que acusaram falsamente de não ser leal ao Shogun, que tanto ele como seu clã serviram por décadas.

Como único sobrevivente, bem como seu filho recém-nascido, ele parte em busca de sua vingança, traçando uma reta sem volta. Além de ser uma história intensa, Lobo Solitário também uma senhora obra-prima de como fazer uma história em quadrinhos.

7. Um Contrato com Deus

Um Contrato com Deus é o começo dos Quadrinhos mais densos, ou graphic novels

Se tem um homem no qual qualquer quadrinista ou entusiasta dessa arte deve referenciar, é Will Eisner. Isso mesmo, mais até do que o Stan Lee se bobear. Eisner é o que podemos chamar de gênio dessa narrativa não só pela criatividade, mas por mostrar o quanto os quadrinhos podem ser profundos em roteiro, arte e a combinação de ambos. E isso fica bem evidente em Um Contrato com Deus.

Ela também é considerada uma das primeiras graphic novels que se tem notícia, antes mesmo do termo se firmar na virada dos anos 80 para os anos 90. E por fim foi uma das primeiras que ganhou um relativo destaque fora do escopo de super-heróis, ainda que outras figuras na época, como Wally Wood e Robert Crumb já começassem a fazer o seu burburinho.

Um Contrato com Deus reúne uma série de pequenas histórias que acontecem em um cortiço em Nova Iorque. Ali, vemos relatos muito próximos da realidade de qualquer pessoa, com reflexões e detalhes de vida que falam muito sobre o nosso cotidiano, e como ele é bem pesado de muitas formas.

Gostou das dicas? Quais quadrinhos você indicaria para aquele seu amigo que está interessado, mas não sabe por onde começar? Deixe nos comentários, e vamos aumentar ainda mais essa lista, você sabe bem que o que não falta são bons quadrinhos para ler. Até a próxima!

Deixe sua pergunta ou opinião

Avatar for Willian Marinho

Escrito por Willian Marinho

Tire a sua barba da rotina

Imposto da barba,você teria que pagar quanto?

Estresse te deixa com os cabelos brancos!