Aqui 15 de Julho, lá fora 19 de Novembro. Comemoramos por aqui desse jeito há quase 30 anos, e se você se ligou na data, vai ver que é bem conhecida. Isso mesmo: por aqui, nós temos um “Novembro Azul” antes mesmo de novembro! Mas quem inventou isso de dia Dia do Homem ser em Julho?

A coisa começou como uma brincadeira na Ordem Nacional dos Escritores, em que alguns dos membros usaram a oportunidade da data para realizar uma espécie de premiação dentro do grupo, com o tal “troféu moringa”. Até hoje rola isso, no dia 20 de Julho para ser mais específico.

Detalhes à parte, qual a importância de ter um dia do homem, antes mesmo do Novembro Azul? Assim como o mês que damos um destaque especial na barba, a data é de grande importância para reforçar alguns pontos importantes para o cara moderno.

Mesmo em sua criação fora de época, o intuito era debater assuntos importantes para o segmento masculino, principalmente quanto aos cuidados que devemos ter com o mundo e o comportamento hoje em dia.

Como é o dia do homem em Julho?

Na prática, o dia 15 de julho não é diferente de 19 de Novembro quanto as pautas a serem debatidas. Fala-se sobre a saúde, o bem estar, e a conduta, e sobre o comportamento masculino atual.

O que há realmente de diferente, contudo, está no foco da data: enquanto em novembro temos todo um mês dedicado a questões saudáveis do homem, como a conscientização de exames para o câncer de próstata, aqui o foco está um pouco mais nas posturas sociais.

Só um ponto a constar, jovem: ambos continuam importantes em qualquer época, mas certamente, a data em Julho busca incentivar melhores ações dos rapazes. E hoje em dia, isso é mais do que uma data: é um assunto necessário.

As posturas do cara moderno

O mundo já anda bem diferente de 30 anos atrás. Tá certo que tem muita coisa que ainda tenta se manter, propagado principalmente por quem viveu a juventude nos anos 80 e 90, mas coisa já é muito diferente daqueles momentos, especialmente com a postura do homem.

E nesse meio tempo, algumas coisas se tornaram mais necessárias de serem conversadas. Longe de querer algum tipo de “lacração” ou algo do tipo, até porque discussões importantes sobre postura não tem nada a ver com comentários impactantes, que poderiam estar no rodapé de um caminhão ou em um post em itálico no facebook

Falo de atitudes sérias, que podem inclusive tornar a sua vida e de outras pessoas próximas a você melhores. Vou listar adiante, já considerando o que você pode pensar para agir no dia do homem.

O “Topzera”

Você já deve ter visto esse cara na academia, na praia, na festa, ou qualquer outro ambiente em que é possível fazer contatos sociais, e principalmente visuais. É o cara que cuida bem do corpo, tá sempre ouvindo as baladinhas do momento, e é o que fala umas bostas que dão uma vergonha alheia danada.

Já estamos julgando, jovem, mas tem um motivo para isso, inclusive para o apelido nada jocoso. Dar um trato em si mesmo é bom, saudável, vale a pena, a menos que sua intenção fique apenas no superficial.

Eventualmente, atitudes mais voltadas para si, sem entender o outro e sem prestar atenção em aspectos essenciais de convívio, meio que isolam o “topzera”. Quero dizer, a balada é boa, a música é legal, mas a coisa não vai além disso, o que torna as relações mais difíceis.

Os excessos que estragam

Beber pra caramba, fumar pra caramba, qualquer excesso pra caramba… Tudo isso pode ser divertido para quem vive o “só se vive uma vez”. E é justamente por isso que o dia do homem se faz necessário para trocar uma ideia sobre isso.

Excessos acabam com a sua vida, jovem. Mesmo aqueles que a gente sabe que vai passar no dia seguinte, ficar “loucão” como se diz por aí é o mesmo que colocar a sua vida e a de outros próximos em um risco desnecessário.

O papo pode soar de “cotinha”, mas veja um ponto importante. Nada impede qualquer cara de se divertir e curtir a vida, é só se botar em risco pelo incentivo a isso. E se me permite dizer, em um país onde as tragédias só são levadas a sério quando é perto de você, vale a pena usar o dia como uma oportunidade para aprender a se importar, caso ainda não tenha essa noção.

O jogo que ainda não aprendemos a jogar

Tem muitos assuntos que podem ser tratados no dia do homem, jovem, mas um em especial é ainda mais importante que creio eu, você já deve entendido pelo tom da conversa.

Não tem mais espaço para a ideia do cara “dominador”, do cara que “pega todas”, do cara que não se importa tanto com os sentimentos. Tem espaço para todos os tipos de relações, inclusive quem busca algo pontual. Mas uma coisa é certa, jovem: não se pode, de maneira alguma, generalizar, jovem.

Mulheres, desde sempre, buscam da mesma liberdade de expressão e atitudes que são incentivadas para os homens. Isso também leva a uma série de ações que podem ser consideradas tóxicas, mas isso é consequência do que vivemos e reproduzimos de gerações passadas.

Por isso é interessante que, para esse momento, mais do que ter um campo sem abusos e excessos, é entender pontos simples de uma vivência a dois. Não é a toa que tem surgido mais e mais casos de tragédias envolvendo casais: o questionamento em quem não se importa, incomoda. Você não precisa de algo do tipo para entender a necessidade de uma boa relação. E vai por mim: quando ficar fácil de entender, você vai ter melhores histórias para contar.

Então, se você quer valorizar o dia do homem, seja em Julho ou Novembro, desenvolva suas posturas e principalmente sua consciência quanto a elas. Mudar porque “está na moda”, ou sem um entendimento de fato do que se precisa na sociedade hoje, mais do que não ajudar a você mesmo, é só manter uma fachada, jovem.

Use esse momento para ver a vida sob novos horizontes, e de quebra, ser uma mudança tão boa quanto a que cobramos por aí. E hoje, para o dia do homem, repensar o que nos coloca aqui é de grande importância. Até a próxima, jovem!

Deixe sua pergunta ou opinião

Ad Blocker Detected

Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by disabling your ad blocker.

Refresh