em ,

Você sabe com que frequência se deve ir ao barbeiro?

Você não precisa ir todo dia, mas é bom ter uma frequência. E vamos te ajudar!

Tem coisa mais emblemática do que ir ao barbeiro? Sentar naquela cadeira e dar uma olhada bem profunda em seu reflexo no espelho antes e depois de dar uns tratos nos pelos faciais, e entre um cuidado e outro, trocar uma ideia com o barbeiro. E isso não é coisa de filmes viu: o que mais acontece nas barbearias de bairro e nas barber shops são esses momentos de conversa.

Independente do que rola, ou da simbologia relacionada aos barbeiros, uma coisa é certa: você não precisa ir todo dia ao barbeiro, não ao menos para fazer a barba. E se bobear, nem toda semana. Existe uma frequência que todo barbudo que gosta do ambiente precisa seguir, seja para manter um visual que não seria possível de fazer em casa, seja por alguns cuidados específicos.

Para encontrar essa frequência, vamos te dar algumas sugestões e direcionamentos que podem funcionar como um facilitador nessas horas. E como um bom economizador de grana também.

Por que ir ao barbeiro?

Ir ao Barbeiro é um momento, e precisa de uma frequência agradável

Já começa daí. Você sabe quando precisa ir para cortar o cabelo, certo? Mudar o corte, apará-lo, ou então buscar novas ideias, e tudo isso só é possível porque você não manja das técnicas que vão fazer esse visual ficar em seu melhor estado. A mesma prerrogativa se dá para a barba, exceto que aqui, você até tem como dar um jeito nela, mas não com a mesma maestria de um profissional, talvez.

Existem outros bons motivos para um barbeiro também, mais até do que cortar o cabelo ou fazer a barba. Muitas das barber shops modernas trazem outros serviços e mordomias que tem muito a ver com a ideia de um local tranquilo para os homens cuidarem do seu visual.

Entre opções de lazer para e com os filhos, encontrar amigos que aproveitam a ocasião para relaxar, e pegar umas dicas com o barbeiro, existem ótimos motivos para ir a barbearia, ainda mais uma cheia de recursos como essas.

Mas como a gente bem sabe, a barba não cresce tão rápido para que você vá toda semana, ou todo dia, a menos que você vá ver os amigos por lá. É aí que você encontra a sua frequência ideal.

Encontrando o seu tempo

É bom encontrar o seu tempo na hora de Ir ao Barbeiro

Para cada homem, a barba cresce em um ritmo diferente. Isso se deve mais a fatores genéticos e hereditários do que os cuidados em si. Você pode ter uma barba lisa e muito bem cuidada, e ela levar mais tempo que um exemplar daquele seu amigo com descendência viking. E você consegue descobrir isso com o passar das semanas de crescimento.

Vai chegar um ponto em que o crescimento se torna um pouco menos intenso, e as diferenças no visual são melhor sentidas. A média de crescimento depois do período inicial é de 12 a 15 dias, mas você pode fazer um cálculo mais específico com a calculadora de barba.

Além do tempo em que sua barba cresce, ainda temos um outro fator importante para os profissionais barbudos. Para cada tipo de trabalho, existem normas a serem cumpridas quanto aos pelos faciais no que diz respeito ao tamanho deles.

Enquanto um estabelecimento comercial pode não colocar restrições no tamanho, mas sim no volume da barba, os executivos podem restringir apenas ao estilo de acordo com escritórios.

Quanto você fica esperto nesses detalhes, a frequência pode ser maior no barbeiro, isso quando você mesmo dá um jeito e vai aparando a barba por conta própria. E seja por motivos profissionais ou pessoais, ir ao barbeiro com frequência também pode ser ideal por outra razão.

A forma ideal

Não tem uma forma ideal de Ir ao Barbeiro, só ir

Um bom barbeiro não apenas vai ajustar sua barba nas proporções corretas e simétricas para um ambiente de trabalho ou para aquela ocasião especial. Esses caras estudam técnicas seculares para encontrar não só um ou mais estilos para você, como virtualmente modelar o seu rosto.

Talvez você não saiba, mas todos nós temos um tipo de rosto, cujos detalhes podem ser realçados ou escondidos quando fazemos um corte específico de cabelo ou barba. O barbeiro, quando manja a sua cara, pode testar ou aplicar suas concepções no visual se você preferir, justamente para trazer o seu melhor visual.

Quando vocês dois chegam em um acordo, a frequência pode se tornar maior apenas pelo fato de fazer aquela manutenção regular, já que você mesmo não teria a mesma mão para esse destaque no rosto do que ele. E claro, isso não impede que você peça umas dicas para ele conforme vai pegando os macetes com os cuidados no visual.

A frequência correta é…

Ir ao Barbeiro também é encontrar os amigos

Como dissemos, depende. Para quem usa a barbearia para fins profissionais, duas vezes no mês é suficiente. Você relaxa um pouco do trabalho, deixa o visual impecável para não ter problemas com o patrão, e ainda pode trocar umas ideias com o pessoal ali da mesma forma que faria num bar, isso se a própria barbearia já não o for com essa nova onda de “pub barber shop”.

Agora, se a sua intenção é manter aquele estilo top que você encontrou junto ao ir ao barbeiro, de repente uma vez na semana pode ser uma boa, apenas para dar uns retoques. Nesse caso, vai depender mais do quanto a sua barba cresce do que realmente tratar o visual.

Ir ao barbeiro é mais tranquilo do que pensa, jovem. Encontrar sua frequência é tão simples quanto qualquer outro lugar que vai, então faça as observações cabíveis para não ficar perdido nem com valores, nem com o tempo gasto nesses lugares. Parcimônia é tudo. Até a próxima!

Você sabe com que frequência se deve ir ao barbeiro?
4.9 (98.18%) 22 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Avatar for Rodrigo

Escrito por Rodrigo

Barbudo com interesses diversos, expert em produtos para barba e cuidados, porem focado em ajudar outros barbudos em como cuidar melhor de suas barbas e ter seu estilo próprio.
Tem alguma dúvida? Pergunte-me e irei lhe ajudar no que for preciso para deixar sua barba top!

Dia Mundial do Rock para barbudo nenhum colocar defeito!

RoadStock Brasil: Moto, estrada e Rock n’ Roll!