in

O Guia Definitivo do Whisky para Barbudos de Respeito

É fácil falar que o whisky é uma opção refinada de bebida alcoólica para os seus amantes mais assíduos. Mas para quem nunca bebeu, e quer pagar de “entendido” no assunto, dar um único gole da bebida é acabar como um daqueles personagens de cartoons antigos, cuspindo fogo com a cara completamente vermelha. Sim, o whisky é forte deste jeito, porém não é uma bebida impossível de beber para um principiante.

Por isso, vamos montar um guia completo para os barbudos que curtem uma boa bebida e desejam expandir os horizontes. E claro, vamos passar todos os detalhes para você dar uma boa carteirada na hora de pedir um whisky num pub. Aproveite a classe.

Mas antes… Um pouco de história.

Como surgiu o Whisky?

Gosta de um bom Whisky como nós?

Veja você: o significado de Whisky, vinda de uisge beatha, do galês, é “água da vida”. Os relatos sobre a origem exata sobre esse destilado são um tanto vagas, mas sabe-se que ele já era produzido na região britânica desde pelo menos no século IV A.C. Mais precisamente, onde hoje é a Escócia, implementadas por São Patrício da Irlanda.

Essa “água da vida” era destilada por indígenas na região da Escócia, e foi apenas a partir do século XV que houveram registros de comercialização entre os mesmos e os frades escoceses. Aliás, a relação entre os monastérios e o Whisky é bem mais próxima do que imagina, inclusive pelo nome. Afinal de contas, como uma bebida alcoólica tem esse título sem ser uma ironia?

Simples. Antes de se tornar uma bebida para apreciação como a cerveja e tantas outras, o licor produzido pelos frades tinha fins medicinais, e seu uso era exclusivo deles. Por ser um destilado, feito de forma parecida com a cerveja, porém misturado a outros ingredientes como ervas e especiarias, considerou-se várias vezes como uma bebida alcoólica legítima. Ainda mais numa região fria como as ilhas britânicas.

Foi no começo do século XVI que começamos a ver o Whisky fora dos monastérios, e apenas no século XVII para o XVIII que eles começaram a ser vendidos como qualquer outra bebida alcoólica. E nessas horas dá gosto de ser barbudo: os primeiros a conseguirem autorização para destilar o whisky por conta própria foi a Associação de Barbeiros e Cirurgiões de Edimburgo. Foda, né?

Nas décadas seguintes, até os séculos mais recentes que mencionamos acima, a destilação do whisky era mais doméstica e caseira do que algo como o rum ou a cerveja, por exemplo. Mas isso não a tornou menos apreciada, já que até mesmo contratos comerciais eram fechados com um bom gole da bebida.

O cara que começou a comercializar o whisky como uma bebida refinada foi John Walker. Aperfeiçoando a fórmula do seu avô, o vendedor itinerante Alexander Walker, o Johnny Walker Red Label foi o primeiro whisky escocês, e hoje é uma das prestigiadas. É bem provável que você tenha ouvido falar do Red Label por aí.

Hoje em dia já existem vários outros tipos de whisky, e não apenas da Johnny Walker Vejamos alguns bons exemplos.

Whisky, Whiskey ou uísque?

Provavelmente você percebeu isso em rótulos diferentes. Alguns escrevem Whisky, enquanto escrevem Whiskey. Qual é o certo, afinal de contas? Ambas, na verdade. Como a bebida veio das antigas regiões celtas, que mais tarde viriam a se tornar países como Irlanda e Escócia, a grafia é apenas uma questão cultural.

Então se você ver uma garrafa escrita com “Whiskey”, a origem dela com certeza é irlandesa, enquanto “Whisky” se relaciona a bebida escocesa. Os demais países fabricantes da bebida se alinham a um e a outro. No Estados Unidos, usa-se a versão irlandesa, enquanto nós usamos a versão escocesa.

E uísque? É só aportuguesamento da palavra, nem se preocupe.

Tipos de Whisky

Existem poucas diferenças entre os tipos de Whisky, já que o processo de fabricação é o mesmo. Contudo, existem dois tipos de classificações que costumam convergir em alguns pontos, e se distanciar em outros. E para você escolher sua bebida consciente, é bom ficar esperto com eles.

De forma geral, existem dois grandes tipos de classificações para os whiskies: o padrão escocês, e o padrão mundial. Vejamos os dois grandes tipos para você ficar esperto.

Whiskies no Padrão Escocês

Pure Malt

Whisky Pure Malt tem as fórmulas mais clássicas da bebida

Também é chamado de Vatted. Esta é a versão mais próxima da receita original do Whisky, já que seu processo vem diretamente da cevada maltada, e não da destilação anterior a ela. Outro fator que determina o tipo, é que a produção do whisky é feita com até 4 single malts. Esse processo dá alguns contornos a mais no sabor do whisky, dignos de um apreciador mais atento.

Single Malt

O Whiksy Single Malt é mais apurado e difícil de usar

Tem o processo bem parecido com o Pure Malt. Contudo, enquanto a receita acima pode levar até 4 maltes destilados, este recebe apenas um, o que justifica o nome. Estes whiskies costumam ser bem mais fortes que a média, e não trazem nenhum aroma a mais. São ótimos para quem deseja aquela bebida forte com um bom gelo.

Grain Whisky

O Grain Whisky é bem variado em estilos e fórmulas

São whiskies produzidos a partir de grãos como arroz e milho destilados. Outra opção muito comum são os grãos de centeio. O uso específico varia de acordo com os países: os Estados Unidos usam muito os grãos de milho esmaltados, enquanto o Canadá usa muito os grãos de centeio.

Embora pareça um processo longe do original – a própria Escócia não tem muitas destilarias nesse estilo -, ele não perde em qualidade ou mesmo valores em comparação a outros tipos de whiskies. É uma ótima alternativa para quem ainda não conhece o whisky, e se acostumar com a bebida.

Blended

O Whisky Blended é a categoria mais variada e sabores da bebida

Até poderíamos dizer que o Blended é o tipo de Whisky mais “popular” por ter seus valores bem mais reduzidos em comparação aos demais tipos. Mas não é bem assim: este tipo de Whisky combina tanto o processo do Pure Malt como o do Grain Malt. Suas fórmulas costumam ser exclusivas de cada destilaria, já que a mistura dos maltes garantem alguns sabores e aromas especiais e únicos.

Entende agora? Ao invés de ser mais “popular”, esse estilo de whisky adiciona muito mais opções para quem deseja experimentar algo fora do comum. Sabe as cervejas Pale Ale? É na mesma linha.

Padrão Mundial

Scotch

O Scotch é o velho whisky escocês

São whiskies produzidos exclusivamente na Escócia. Seus padrões, únicos, dificilmente são reproduzidos com fidelidade fora do país. Por conta disso, tem seus valores de importação nas alturas. A linha Johnny Walker é uma das mais conhecidas, mas existem outras destilarias, especializadas principalmente nos whiskies Blended.

Whisky Bourbon

O Bourbon Whisky é uma das variações mais emblemáticos

Estes whiskies seguem um padrão americano bem definido. Suas bebidas são do tipo Grain Whisky, sobretudo os de milho. Boa parte de suas bebidas são produzidas com maltes de 60% a 80%, sendo completadas com cevada ou trigo.

Um detalhe curioso em sua fabricação é quanto a água usada na destilação: enquanto o whisky escocês recebe uma água que passou por pântanos e lagos, as versões americanas têm uma água mais calcária, o que influencia diretamente no sabor do whisky.

Tenessee Whisky

O Tennessee é o Whiskey clássico

Pode-se dizer que elas são as “exceções” no padrão americano. São whiskies produzidos com grãos de trigo, com cerca de 50% do grão no processo de destilação. Não costumam misturar outros ingredientes na fabricação, e ainda assim atingem padrões similares ao estilo Bourbon. É uma das marcas registradas da região do Tenessee, nos Estados Unidos.

Irish Whisky

O Irish Whisky é um "concorrente" bem feito do whisky escocês

Como dissemos lá no começo, as Ilhas Britânicas são o berço do Whisky. E embora a Irlanda não seja parte da região atualmente, ela também recebeu essa influência cultural – afinal, antes todos eram bretões e celtas.

O Irish Whisky é a versão irlandesa do Scotch, que cevada não maltada e mais alguns outros grãos na sua fabricação. Outro fator muito interessante que o diferencia do seu vizinho escocês é o uso do carvão no aquecimento da cevada, o que influencia no sabor da bebida. O Irish Whisky é um dos mais conhecidos aqui no Brasil.

Quais os melhores copos para beber whisky?

Assim como as cervejas, cachaças e vinhos, ter os melhores copos para identificar todas as nuances do whisky é um dos fatores que ajudam a apreciar ainda mais a bebida. Além disso, ter esse cuidado ajuda a aumentar a credibilidade quando se trata de beber um bom whisky, fora aquela carteirada que você pode dar com seus amigos.

Vejamos os tipos de copos mais populares e mais adequados para apreciar o whisky.

Tulipas

A clássica túlipa é ótima para Whisky

As boas taças para alguns tipos de cervejas é perfeita para os barbudos que desejam apreciar o whisky de formas mais “técnicas”, vamos dizer assim. O formato da taça permite que os apreciadores sinta os aromas e sabores de forma simultânea, já que ela é larga o bastante para que o nariz fique próximo a taça sem atrapalhar o momento.

Mas para sentir essa combinação de forma mais natural, faça aquele “macete” que os sommeliers profissionais praticam, de mexer a taça suavemente para liberar os aromas.

Old Fashioned

O clássico copo para Whisky é o Old Fashioned

É o copo da galera. O old fashioned não segue especificamente algum tipo de recomendação de profissionais de degustação de vinhos, mas guarda uma característica muito importante para os caras que gostam de dividir a bebida com os amigos: o espaço é bom o bastante para adicionar umas pedras de gelo.

Por ser um copo baixo, é perfeito para que beba na medida certa, sem correr riscos de chamar o Raul e acabar com a barba tão bem cuidada.

Taça de Conhaque

Para bebidas mais clássicas do Whisky, o copo de conhaque é excelente

Whiskies mais velhos exigem sua dose de requinte para que sejam bem apreciados. Nesse caso, as taças de conhaque são excelentes indicações. São um pouco mais altas que as tulipas, e são perfeitas para uma bebida mais encorpada.

E aqui vai uma dica: se você vai beber uma boa dose, deixe um copo de água separado. Além de limpar a língua, e facilitar a apreciação do whisky, você evita aquele estado de altura indesejada.

Taça para Vinho Branco

A taça para vinho branco também é ótimo no whisky

Para whiskies do tipo Blended, que são um pouco mais leves e guardam uma boa variedade de aromas, as taças para vinho branco são perfeitas. São fáceis de segurar pela haste, e permitem colocar uma pedra de gelo para acompanhar a bebida. Excelentes para ocasiões mais especiais também.

Sugestões para você começar e apreciar bem

Você já sabe os tipos de taças, os tipos de whiskies e como eles surgiram. Um guia não ficaria realmente completo sem algumas boas sugestões da bebida para você começar a apreciá-las, certo? Vamos a alguns exemplos.

Jhonny Walker Green Label

O Johnnie Walker Green Lable é um dos mais clássicos

A linha Johnny Walker é inegável como uma das melhores atualmente no mercado de Whiskies. Os caras foram os primeiros a comercializar a bebida e fazerem sucesso, não tem como falhar em algo tão grandioso como vimos antes. Enfim, o que importa é que sua linha de whiskies continua sendo uma das mais valorizadas, senão a mais.

Entre as indicações para os novatos, ou para aqueles que desejam adentrar ao segmento das Pure Malts com mais de 200 anos, uma boa forma de começar é a Green Label. Mas vá com calma: uma bebida desse tipo é forte o suficiente para dar apenas um gole. Guarde para momentos especiais.

GlenFiddich Single Malt 12 anos

O Whisky Glenfiddich é o segundo grande whisky na Escócia

Já nas Single Malts, uma boa indicação é a GlenFiddich 12 anos. Dá para dizer que a GlenFiddich é um concorrente direto da Jhonny Walker quando se trata de um bom Scottish, e também é uma das bebidas mais apreciadas do mundo inteiro. Idealizado por William Grant, o segmento se tornou rapidamente um negócio de família no final do século XIX.

A linha Single Malt 12 Anos é uma boa indicação para quem deseja uma bebida ainda mais forte em sabor, porém não tão envelhecida como no exemplo anterior. Se você curte um bom desafio, separe aquela taça para conhaque e deixe o momento ajudá-lo.

Jack Daniels

Jack Daniels é o grande Whisky americano

Seja pela boa propaganda, seja pela proximidade dos Estados Unidos com o Brasil, a Jack Daniels é uma das marcas mais famosas no nosso país. Sua garrafa é bem popular por aqui, toda estilosa no formato retangular. E ainda por cima é bem acessível.

Se você nunca provou nem um gole de whisky, a Jack Daniels é uma ótima escolha. O Tenessee Whisky tem um estilo bem único, e também costuma ser usada em outros drinks e até receitas. Vale a pena se você não tem como gastar uma grana maior.

Whiskey Jameson

O Jameson é o maior representante irlandês do Whisky

Outra dica mais leve para os amantes de Whiskies é o Jameson, da Irlanda. A marca registrada da Irlanda, é bem equilibrado entre os sabores e aromas, e pode não pesar tanto para os caras que nunca tiveram uma experiência com a bebida. E assim como o Jack Daniels, ela é bem acessível em valores por aqui.

Pronto para aproveitar o whisky, jovem? Existem ainda muito mais rótulos, que vamos trazer em breve para você variar nas opções da mesma forma que as cervejas, os vinhos e tantas outras bebidas classudas. E claro, você pode aproveitar todas as opções que demos aqui em sua garrafa stanley. Não deixe de apreciar um bom whisky, e até a próxima, meu camarada!

Quer receber no seu email excelentes conteúdos iguais a este? Então cadastre-se em nossa newsletter.

O Guia Definitivo do Whisky para Barbudos de Respeito
4.2 (84%) 30 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Written by Rodrigo

Avatar for Rodrigo

Barbudo com interesses diversos, expert em produtos para barba e cuidados, porem focado em ajudar outros barbudos em como cuidar melhor de suas barbas e ter seu estilo próprio.
Tem alguma dúvida? Pergunte-me e irei lhe ajudar no que for preciso para deixar sua barba top!

As Barbas dos cantores sertanejos de hoje e de sempre!

Aprenda a fazer um topete masculino de muito sucesso!