Para os barbeiros mais bem informados no ramo, Edimar Torres dispensa apresentações. Um dos sócios-fundadores da Barbearia Torres, idealizador do ExpoBarber e parte importante de eventos como o Barberday, o barbeiro e empresário é um homem a se respeitar quando se trata de empreendedorismo, barbearias, e claro, um bom estilo.

Entrevistamos o homem, trazendo alguns insights interessantes sobre sua trajetória no segmento, suas preferências quanto ao ramo da barbearia, e quais dicas ele pode passar aos novos entusiasmados com o ramo.

 

Entrevistando Edimar Torres
Entrevistando Edimar Torres

Como se iniciou a trajetória de Edimar Torres?

Como se é bem conhecido, Edimar Torres começou desde cedo no ramo de barbearia. Mas a paixão pela profissão não foi bem de imediato: ela veio com o tempo, e através de situações bem curiosas. Na verdade, é meio assim que se descobre a própria profissão, não é verdade?

“Comecei o trabalho em 1991, numa barbearia bem pequena no bairro de Engenho Nogueira. Antes disso, havia trabalhado como office boy, coisa de 2 anos. Na época, fiz cursos para trabalhar como office boy. Comecei com 12 anos de idade, e quando fiz 14, depois de ser mandado embora, tive a oportunidade nesta barbearia.”

Durante esse período, Edimar recebeu a  proposta de um cabeleireiro da região conhecido como Gilmar. O homem em questão sugeriu que ele fizesse um curso na área de cabeleireiro, para que trabalhasse com ele em seguida. Sem abandonar os estudos, fez seu primeiro curso na área de cabeleireiro alguns anos depois.

Em um dia, o Souza chegou a cortar 96 cabelos!

Conheça a trajetória de Edmar Torres

Pouco tempo após a sua formação no curso, que durou apenas 30 dias, Edimar acabou ganhando uma outra proposta de trabalho. Um amigo indicou uma barbearia não muito longe de sua unidade mais atual, no Bairro Caiçara na cidade de Belo Horizonte. Essa, diferente do trabalho com Gilmar, era de fato uma barbearia, nos termos mais tradicionais, com um senhor conhecido apenas como Souza. “Em um dia, o Souza chegou a cortar 96 cabelos!”, afirma Edimar.

Ele ainda fala da boa fase que teve com o velho barbeiro: “Nesta época que aprendi as manhas da profissão, principalmente com o manejo das ferramentas e principalmente com o atendimento do público. Com o Souza, trabalhei cerca de 4 meses. Foi com ele, inclusive, que montei minha primeira barbearia.”

Este barbeiro, o Souza, teria um papel ainda mais importante na formação profissional de Edimar Torres. Mas antes de entrarmos nessa parte, tem um trecho nessa história que nos chamou muita atenção.

Barbeiro? Como assim barbeiro?

Edmar Torres teve uma trajetória muito parecida com tantos outros barbeiros. O diferencial foi o ânimo com a profissão

Durante o período em que Edimar fez seus cursos de capacitação, além de pegar experiência na área, uma coisa nos chamou atenção: o nome “barbeiro” não era bem popular por aqui.

“A ideia dos cursos era poder me capacitar enquanto mantinha os estudos, e iria continuar com eles até depois dos 18 anos. E na época, dizer que se fazia curso de barbeiro soava pejorativo, era muito mais comum falar que se estudava para ser cabeleireiro.”

Essa é uma questão curiosa se considerarmos os anos 90 no Brasil, época em que as barbearias, embora não possuíssem a mesma popularidade do que em outros países, como os Estados Unidos, já tinham se estabelecido.

O Empreendimento na barbearia

Um dos segredos do sucesso de Edmar Torres foi o empreendimento real que ele fez desde sua primeira barbearia

Sempre existe aquele gatilho que nos impulsiona ao empreendimento. Uma oportunidade única, uma ideia revolucionária, ou mesmo um acontecimento inesperado. No caso de Edimar Torres, foi um passo quase natural ao que já estava fazendo.

Souza, aquele velho barbeiro que o havia contratado, ofereceu uma proposta de sociedade, montando uma pequena barbearia. “A lojinha tinha uns 7 metros quadrados, as paredes eram pintadas com uma tinta bem velha, apenas uma cadeira de barbeiro, duas cadeiras um pouco velhas para outros clientes esperarem, e só.” Este seria o primeiro local de trabalho em que Edimar não apenas seria um funcionário, mas sim o dono. E isto ainda bem jovem!

A barbearia foi inaugurada no dia 20 de Maio de 1992. Com as cadeiras bem organizadas, e tudo bem arrumado na medida do possível. A iniciativa foi curiosa, pois sequer havia algum tipo de anúncio que indicava a barbearia. Foi tudo feito assim, com simplicidade e iniciativa.

“O Souza foi dono desta barbearia por 12 dias”, disse Edimar, “Aí ele me ofereceu a proposta de comprar o salão. “Ele me ofereceu a proposta de comprar a parte dele do salão, e fiquei em dúvida se devia ou não, já que não tinha dinheiro para tal.”


Esse é o ponto em que as oportunidades surgem e não devem ser desperdiçadas. Sem o montante inicial para o investimento, acabou vendendo a bicicleta que comprou durante os meses que havia trabalhado com Souza, antes deles entrarem em sociedade. Com a venda da bicicleta, foi conseguido metade do valor, com a outra metade financiada pelo pai, como um empréstimo.

Então, com 15 anos, ele começou a empreender de fato. E uma das primeiras iniciativas de seu negócio foi reformulá-lo. Em três meses, todos os velhos itens da barbearia – as cadeiras, a cadeira de barbeiro, bem como a pintura, foram todos trocados e atualizados.

Esta barbearia durou 13 anos, sempre custando R$5 o corte de cabelo. Durante todo o tempo em que trabalhou na barbearia, reformou o local 5 vezes. Isso é importante de se destacar, pois mesmo com as mudanças do período, o valor e os cuidados de Edimar foram suficientes para dar a estabilidade que precisava.

O irmão Elias e a Ida para os Estados Unidos

O irmão Elias foi parte importante na trajetória de Edmar Torres

Todas as pessoas, sejam elas empreendedoras ou não, precisam passar por um período de mudanças, e até provações. Quando a este último aspecto, vamos falar um pouco mais à frente. Mas Edimar nos contou o período em que mudou suas perspectivas quanto a profissão de barbeiro. E Isso começou com um choque de realidade um tanto triste.

“ninguém cresce sozinho!”

“Eu tive essa barbearia pequena por cerca de 13 anos, até 2005. Nesse meio tempo, a loja foi assaltada 5 vezes, e isso me deixou um pouco abalado psicologicamente. A pressão que isso gerava foi bem grande, então decidi ir para os Estados Unidos.”

A decisão de ir para os Estados Unidos não foi fácil. E não apenas pelos acontecimentos citados pelo barbeiro, como procurar uma forma de manter seu velho estabelecimento. Foi nesta época que que entrou em cena um cara que seria uma figura que viria ser bem importante entre os barbeiros alguns anos depois.

“Convidei o meu irmão Elias para trabalhar no meu salão. Na época ele tinha apenas um ano de profissão como barbeiro e cabeleireiro. Ofereci a proposta para ele, e ele aceitou com um pouco de medo, pois onde ele trabalhava, o valor que recebia era bem alto para a época.“

Com Elias trabalhando em sua barbearia, Edimar Torres foi para os Estados Unidos. Lá, ficou 1 ano, ainda passando por alguns apertos em relação a legislação americana, um pouco mais rígida com a profissão de barbeiro para estrangeiros.

Elias e Edimar não deixaram de trabalhar juntos. Em 2009, alguns anos depois de já ter voltado ao Brasil, Elias ofereceu a proposta de parceria para com Edimar: “ninguém cresce sozinho, disse ele”. A parceira, direta, durou até 2013.

O Ponto de Mudança

Foi um dia de trabalho normal que Edmar Torres teve o insight que precisava para sua mudança

Lembra do que falamos sobre provações? Às vezes ela vem cedo, bem cedo, enquanto outras vezes ela chega com um bom tempo de experiência. Esse foi o caso de Edimar Torres, com seus já quase 20 anos de profissão.


O projeto dele com Elias durou alguns anos. E o próprio Edimar admitiu que já estava um tanto cansado do ramo: “Achava que não havia mais nada o que mudar. Com 20 anos de experiência, o cansaço já estava bem evidente.”

Ainda assim, a parceria entre ambos mostrou um pouco do que seria os tempos atuais. Depois de um tempo os dois desfizeram a sociedade  mas o companheirismo sempre permaneceu. E é curioso que a esposa do Elias sempre comenta que ambos possuem as mesmas visões muito parecidas do ramo, até mesmo com pensamentos idênticos.

O irmão mais novo, agora já como Seu Elias, abriu uma barbearia no bairro Ouro Preto. Já Edimar abriu mais uma na rua Moema. Pequena, porém moderna. E foi quando veio a ocasião que mudaria sua perspectiva de mercado. Em um determinado dia, Edimar atendeu um homem que lhe veio falar algumas coisas.

‘Eu corto o cabelo com você faz uns 10 anos, sempre te vejo na mesma, você não tem vontade de crescer?’ Edimar respondeu, obviamente, que sim. ‘Então preciso te falar: aqueles que somente querem, nunca alcançam. Não adianta nada você só querer crescer. Todo mundo quer crescer’. Acredito ter sido um recado divino, pois nunca mais vi esse homem novamente.” Falou Edimar.

A Barbearia Torres Hoje

Como está a barbearia de Edmar Torres hoje?

“Barbeiro que não busca esses conhecimentos torna-se muito limitado.”

Aquele episódio em sua barbearia foi o ponto de mudança para Edimar Torres. Em 1º de Janeiro de 2014, ele montou o novo projeto, que forma a Barbearia Torres atual, junto a sua esposa. Novos cursos vieram, inclusive de capacitações internacionais e o renomado barbeiro deixa um recado importante para seus colegas da área.


“Saber os processos químicos que envolvem o segmento é fundamental para um bom barbeiro, mesmo que você não corte cabelos femininos.Todos aqueles procedimentos modernos de selagem, texturas, luzes, entre outros, também são feitos na barbearia. No meu ponto de vista, um barbeiro que não busca esses conhecimentos torna-se muito limitado.”

Seis meses depois de sua decisão, Edimar Torres abriu sua nova barbearia, mesmo sem toda a verba necessária. Era uma barbearia modelo com elementos modernos, nos moldes atuais. E foi a aposta mais alta da carreira até hoje.

“Tínhamos uma equipe de 3 barbeiros apenas. Apesar do espaço comportar até 7, ainda não havia movimento o suficiente para tal. Contudo, trouxemos um conceito novo de barbearia, e costumo dizer que fomos os pioneiros nesse novo ramo, ainda que não tivessem muitos clientes.”

Os meses iniciais foram bem puxados, inclusive sem verba para investir em marketing. Até que veio a oportunidade de chamar a atenção para seu novo projeto, que foi uma entrevista para a afiliada local da Rede Globo falando sobre a nova barbearia.

“A matéria foi ao ar no dia 1º de Janeiro de 2015, no noticiário local, e esse foi o ponto que impulsionou o negócio. O engajamento aumentou bastante, e outras redes de televisão entraram em contato conosco, como a SBT, por exemplo.”

Foi esse engajamento, de estar sempre apresentando a barbearia em todas as oportunidades, foi o que impulsionou a Barbearia Torres a chegar nos patamares atuais. E esse foi o ânimo que deu a Edimar o que precisava.

“Digo isso sem um pingo de arrogância, que tanto eu como o Elias somos referência hoje nas barbearias do Brasil. E mesmo sem nossa sociedade, as coisas fluíram muito bem para nós dois, um puxando o outro.”

Conheça a Barbearia Torres!

Além da Barbearia Torres, Edimar também comanda o Expo Barber e é parte constante do Barberday, este organizado pelo irmão Elias que hoje afrente da barbearia Seu Elias. Ambos são eventos muito bem prestigiados no ramo, e inclusive falamos do Barberday por aqui.

Curtiu a entrevista? Deixe nos comentários o que achou do papo com o Edimar Torres. Como é possível perceber, basta apenas iniciativa e uma boa dose de dedicação para conquistar os resultados que deseja. Como é bem dito na entrevista, somente querer não basta. Até a próxima!

Quer receber no seu email excelentes conteúdos iguais a este? Então cadastre-se em nossa newsletter.


[ninja_forms id=5]


One Response

  1. Avatar for Rodrigo Hasami Futigami
    Posted on 29/01/2018

Deixe sua pergunta ou opinião

Ad Blocker Detected

Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by disabling your ad blocker.

Refresh